quinta-feira, 17 de maio de 2018

Atendimento Educacional Especializado: Tecnologias na Educação: Turma da Mônica. Cine gibi 3

Atendimento Educacional Especializado: Tecnologias na Educação: Turma da Mônica. Cine gibi 3

quarta-feira, 21 de março de 2018

O valor de uma vida

O valor de uma vida

Na praia a menina 
achou uma concha, 
conchinha lindinha, 
de arrepiar

No dia seguinte, 
as suas amigas 
daquela conchinha 
iriam gostar.

Mas dentro da concha
havia um bichinho, 
vivo, vivinho, 
a respirar.

"Se eu levo essa concha", 
pensou a menina, 
"avida do bicho 
vai se acabar".

"Se eu levo essa concha
o bicho não vive, 
mas minhas amigas 
vão me elogiar".

SEPENTZOGLOU, Árthemis, Alessandra L. F. Poesia: a rima no trabalho com a linguagem.
In: ROSSETI-FERREIRA,  Maria clotilde. Os fazeres na educação infantil. São Paulo: Cortez, 2009. p. 98.

O grilo apaixonado

O GRILO APAIXONADO

O GRILO LUNALDO 
ANDA APAIXONADO.
NÃO PARA QUIETO
E PULA PARA TODO LADO.

NÃO SAI DE CASA
E ANDA CALADO.
SERÁ QUE POR ACASO
ESTÁ ENAMORADO?

TODOS JÁ DESCONFIAM
QUEM É A CULPADA:
É A BELA GRILINHA 
DA CASA AO LADO.

Regina villaça.

quinta-feira, 15 de março de 2018

Brincando com o alfabeto

BRINCANDO COM O ALFABETO

Regina Villaça. 





A DE AMIZADE
B DE BRINCADEIRA
C DE DE CARINHO
DE DE DOCINHO

E DE ELEFANTE
F DE FESTANÇA
G DE GINCANA
H DE HORIZONTE

I DE INDIOZINHO
J DE JESUS CRISTO
K DE KÊNIA
L DE LIVRARIA
M DE MAMÃEZINHA

N DE NATUREZA
O DE OTIMISMO
P DE PRESENTE
Q DE QUERIDA

R DE RISADA
S DE SAÚDE
T DE TELEVISÃO
U DE UNIÃO

V DE VIDA
W DE WILSON
X DE XODOZINHO
Y DE YURI
Z DE ZUMBIDO

Regina Villaça. Retirado do livro: Oficina de Poemas e Rimas

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Sem casa

SEM CASA

TEM GENTE QUE NÃO TEM CASA
MORA AO LÉU, DEBAIXO DA PONTE.
NO CÉU A LUA ESPIA
ESSE MONTE DE GENTE
NA RUA
COMO SE FOSSE PAPEL.

GENTE TEM QUE TER 
ONDE MORAR,
UM CANTO, UM QUARTO,
UMA CAMA,
PARA NO FIM DO DIA
GUARDAR O CORPO CANSADO,
COM CARINHO, COM CUIDADO,
QUE O CORPO É A CASA
DOS PENSAMENTOS.

MURRAY, ROSEANA. CASAS. SÃO PAULO: FORMATO, 1994.

A bruxa

A bruxa

Vanessa vestiu de bruxa
para amedrontar Licinha,
a caçulinha.

Licinha achou um sarro
e não coisa do mal.
Riu e dançou como ninguém.
Se era carnaval,
queria brincar também.

Como não deu jeito
de amedrontar Licinh
com o malfeito,
o feitiço virou
contra o feiticeiro.

De noite sonhou
que virava bruxa,
mas de verdade.
Tanto se assustou
que ninguém sabe a razão,
mas parece que choveu
no seu colchão.

José, Elias. Caixa mágica de surpresa. são Paulo: Paulinas, 1984.

O grande herói


O grande herói

A história de um herói,
hoje eu quero lhes contar.
É um homem destemido,
quando é hora de lutar!

É um herói que salva todos
no incêndio lá do hotel.
Ele enfrenta até leão,
tigre, onça e cascavel.

É um soldado corajoso,
na defesa nacional.
Não tem medo de injeção,
muito menos de hospital!

Você pode acreditar
em tudo que eu estou falando:
Esse herói sempre sou eu,
toda vez que estou sonhando!

Bandeira, Pedro> mais respeito, eu sou criança! São Paulo: Moderna, 1995.